Cds e Dvds

Justiça não combina muito bem com underground. A afirmação pode soar um tanto forte, mas infelizmente retrata a realidade que boa parte das bandas de Metal nacional vive.

 

Basta ver o caso dos santistas do Predatory, que apesar de já estarem na estrada desde 1999, só conseguiram chegar a seu debut no ano de 2013. Nesse período de 14 anos, foram lançadas três demos, Walking to the Trap (00), Visions World Apart (05) e Contesting the Truth of Death (09), que tiveram importante função no processo de amadurecimento da banda.

 

Musicalmente o Predatory pratica um Thrash Metal pesado, que trafega em muitos momentos pelo Death e impressiona até mesmo os ouvidos mais calejados, tamanha a sua fúria e brutalidade. Como parâmetro de referência para você, caro leitor, eu poderia citar bandas como Sepultura (até o Arise), Slayer, Kreator, Pantera e Megadeth. Mas faço questão de frisar que a música do quinteto santista formado por Renato Bartkus (vocal), Ricardo Lima (guitarra), Thiago Pacheco (guitarra), Anderson Casarini (baixo) e Luiz Carlos (bateria/ Vulcano, Chemical Disaster, dentre outras) em momento algum soa como mera cópia dos nomes citados acima.

 

O Thrash Metal visceral que encontramos aqui, apesar de fortemente calcado na escola clássica do estilo, em momento algum soa datado, já que possuiu uma pegada moderna muito bem vinda. A alternância entre momentos mais velozes com outros um pouco mais cadenciados, acaba dando boa variedade ao trabalho e evita que tenhamos aquela impressão incomoda de estarmos escutando eternamente a mesma música. Se for fã de vocais urrados e insanos, riffs mortíferos e pesados, “cozinha” brutal e técnica, sem dúvida alguma Dirty Scum Arise foi feito para você. Destaques para a viciante “No Reason to Fight”, “Art for Madness”, o fantástico cover de “Welcome to the Army”, “Engrave” e “Visions World Apart”. Após o final da última música, deixe o cd rolar mais uns segundos, pois temos um cover para....bem, não vou estragar a surpresa.

 

A produção ficou a cargo da própria banda e de Ivan Pelliciotti e possui boa qualidade, deixando os instrumentos todos audíveis, com boa timbragem, mas sem fazer perder a agressividade necessária para um álbum de Thrash Metal desse nível. Já a capa foi obra de Edu Campos e reflete muito bem a realidade que vivemos. Uma curiosidade é que o álbum foi lançado em conjunto por 10 Gravadoras e Distros undergrounds, em uma iniciativa que julgo sempre muito válida.

 

Se alguém me pedisse para definir Dirty Scum Noise em apenas duas palavras, eu escolheria impiedoso e esmagador. Impiedoso para ouvidos mais sensíveis, esmagador para pescoços alheios.

 

Predatory - Dirty Scum Arise (2013)

(Violent Records/ Blasphemic Art/ Underground Brasil Distro/ Cianeto Discos/ Hellprod/ Terceiro Mundo Chaos/ Turbulation Distro/ Metal Reunion Records/ Impaled Records/ Brutal Combat Records)

 

- Sickly Psychological Profile

- Message of Death

- Dirty Scum Noise

- No Reason to Fight

- Art for Madness

- Death to the Murderer

- Hated

- Welcome to the Army (Vulcano Cover)

- Engrave

- Visions World Apart

About the Author

Leandro Vianna

Leandro Vianna

Leandro Vianna é apaixonado por Metal. Mineiro, flamenguista, historiador, pai do Arthur, cinéfilo de carteirinha é viciado em música de qualidade.

Temos 376 visitantes e Nenhum membro online

LEITURA SUGERIDA:

GRID LIST
Shows e Festivais

Festival Roça n' Roll em Varginha (2014)

Ele é considerado o maior festival de música pesada de Minas Gerais e um dos maiores do…
Discos

Asthar - The Cradle

Asthar - The Cradle Completando cinco anos de estrada, a banda mineira Asthar traz uma…
Vídeos e Artistas

Korn - Never Never

"Never Never", o novo videoclipe do Korn, pode ser conferido a seguir. A música pertence…
Discos

Khrophus - Pressages

Com boa representatividade em meio ao cenário nacional, o Krophus dá sequência a sua…
Vídeos e Artistas

Mayan - War On Terror

A Nuclear Blast lançou por meio de seu canal do YouTube o primeiro vídeo clipe do Mayan,…