Início

Este é um bom disco, porém um pouco “sem sal”. É o tipo do álbum que não agrada muito quando se ouve pela primeira vez, até que se escute de novo, e de novo... E então você vai se acostumando e descobrindo os trechos mais interessantes.

A começar pela introdução, um pouco batida e também pouco criativa. As faixas, no geral, ficaram longas, com uma média de 5 a 6 minutos por música, tornando o disco meio cansativo. A gravação é boa, mas as guitarras embolam um pouco, principalmente em alguns rifes dobrados e abafados. Em algumas partes da batera, regadas a blast beats, ouve-se praticamente só a caixa. O baixo, porém, confere peso em vários trechos.  

 Algumas músicas ficaram bem estruturadas, apesar de “simples” como a segunda faixa “Eternal Nightmares”. Já a quarta faixa “Torment”, por exemplo, começa muito abafada, mas prossegue com alguns belos rifes, bem rápidos, e outros bem cadenciados e bonitos. Merece destaque à faixa cinco, “Into The Infector”, instrumental, e que serviu como uma bela introdução para a seguinte, “Inside Of The Shadows”. Aliás, nome este meio batido também. A melhor faixa do disco é a número sete, “Lost In Thoughts”. Os rifes de guitarra desta música ficaram realmente muito bonitos, juntamente com as cavalgadas com baixo alto alá Deicide. A faixa nove, “The Silence In The Eyes Of Death”, tem belas levadas rápidas, e um baixo solo sinistro em 1min e 20s. Destaque também para a faixa dez, “Dying Hopes”.

Os vocais, de maneira geral, ficaram bons, alguns realmente guturais e podres, e outros rasgados, bem desgraçados. Mas pecam pela linha que seguem: quase sempre cantados de maneira lenta. Às vezes, cai bem neste estilo uma linha de vocal mais rápida, bem rasgada, atropelando as letras e “comendo” palavras. Fica meio chato escutar o vocal quase sempre no mesmo ritmo.

A arte do disco ficou bem feita, porém só conta com uma simples e pequena foto dos integrantes. A capa ficou bem sugestiva e compatível com o nome do disco, já que possui um monstro caído com os olhos vermelhos, como se estivesse delirando. De maneira geral, como já dito no início, um bom álbum do Death Metal brasileiro.
 
Nota: 7

About the Author

Rafael Santos

Rafael Santos

Fundador e Editor-Chefe, atua no Metal Clube desde o seu surgimento em 2004.É Empolgado por tecnologia e música! Teve o seu primeiro contato com a música pesada aos 09 anos com as bandas Guns n' Roses e Iron Maiden. 

 

Twitter | Site

AGENDA - PRÓXIMOS SHOWS

Não há eventos programados!

Temos 288 visitantes e Nenhum membro online